O design do imaginário… chique ou lúdico?

Uma das grandes sensações na última Gift Fair (SP de 23 a 26 de fevereiro) sem dúvida alguma foi o estante da catarinense NUSA DUA, tradicional importadora de novidades de todas as partes do mundo. Parte do sucesso por conta da sua mais nova linha chamada MUNDO ANIMAL, composta por uma coleção de pelúcias gigantes (tem inclusive em tamanho real… vide fotos). Conversando com a diretora da empresa Rossana Simonato foi impressionante saber mais do trabalho desenvolvido por sua equipe na constante busca de novidades e exclusividades. O tema deste post, o design do imáginário, ganha força quando nos deparamos com as imagens abaixo, vamos acompanhar juntos e chegar a uma conclusão?

Mariah Carey 01

 Esta imagem é o quarto do bebê de Mariah Carey, ao fundo uma girafa com 2,00mts de altura e que faz parte da decoração do ambiente de forma muito especial.

 

Louis Vuitton 04

 De novo a girafa… só que desta vez na vitrine de LOUIS VUITTON, nossa amiga malhada teve o pescoço adornado por echarpes da grife.

 

Nusa Dua_gift fair 2015 02 - 007

 Foto do estande da NUSA DUA (www.nusadua.com.br) na última Gift Fair, impossível não parar para admirar!

Abaixo detalhe das “cabeças troféu” de animais para uso em decoração de quartos infantis, trazendo um conceito muito mais lúdico, abusando da criatividade. E na última foto (canto inferior direito) a divulgação da campanha social onde a Nusa Dua destina parte da arrecadação com a venda dos bichos de pelúcia da Mundo Animal para uma ONG de proteção de animais em Balneário Camboriú, cidade sede da empresa.

BB-055 BB-024Pag17

Bom… e agora? Qual foi a sua conclusão? O design do imaginário, capaz de nos remeter a um mundo de fantasia (tipo Disney mesmo), é lúdico ou chique? Minha opinião é “os dois”! É lúdico quando nos ajuda a relaxar, a divertir, a permitir a boa sensação que estes animais trazem quando estão próximo… todas as idades se rendem aos “peludos”, impossível não querer um ou não querer presentear seus filhos, sobrinhos, netos ou afilhados. E é muito chique quando usado com glamour, como na vitrine de Louis Vuitton, criando um cenário exótico mas na medida certa; como também quando usado com consciência e responsabilidade ecológica no caso da campanha que envolve a proteção de animais.

 

Quer deixar sua opinião? Participe da nossa enquete!

O design do imaginário… chique ou lúdico?

 

Anúncios

O caminho do design…

Quando falamos em design para arquitetura e decoração o primeiro elemento que vem a mente é o mobiliário. Desde que o mundo é mundo os homens desenham, projetam, idealizam móveis para os mais variados gostos e para os inúmeros usos. Alguns (mais artísticos) servem para encher os olhos e a alma de inspiração, são objetos de desejo, alimentam nossos sonhos e fazem parte de um cenário mais voltado ao icônico. Já outros (mais práticos) foram planejados para o deleite e conforto, para o uso diário e sistemático, peças chave para o cotidiano. Entre estes dois tipos igualmente valiosos temos um ponto em comum: todos, sem exceção, são fruto de estudo, ensaio ou experimentação. O universo do design de mobiliário é tão vasto que chega a assustar a quem se propõe estudar mais a fundo o assunto, afinal são eras de constante evolução. Para o mundo de hoje seria impensável não possuir estes objetos essenciais, seria impossível morar e trabalhar sem sua existência. São elementos, ferramentas, plano base de tarefas do nosso dia a dia.

Mas e o caminho? Onde estamos e para onde vamos quando o assunto é design de mobiliário? Bem, independente de onde se queira ir, é obrigatório uma passada pela  velha e boa Itália. Impossível falar em história do mobiliário sem perder um bom tempo estudando a produção passada e presente dos italianos. Um exemplo disto é a exemplar B&B Itália, uma empresa de inteligência em mobiliário onde os designers podem desenvolver seus projetos sem a interferência na criação, mas com orientação na parte prática e estrutural da mesma. O objetivo da peça enquanto arte é salvo, mas sem deixar que sua viabilidade fique comprometida e com isso ficando só no papel. Para quem quiser conhecer um pouco do trabalho da B&B, segue um inspirador vídeo institucional: https://youtu.be/F2J8X_LraTs (acredite… vale a pena!). Impossível não lembrar de Fiorella Villa e Antonio Citterio, grandes colaboradores da marca que, entre outros diversos nomes, traçam o caminho do design. São eles os nossos expoentes e vanguardistas designers que a cada ano buscam uma nova leitura de mundo, uma nova criação, seja ela de necessidade ou de desejo. Design também faz moda! Design precisa de inspiração para virar uma realidade… e onde buscá-la senão no próprio ser humano? Vem do nosso comportamento, da nossa noção de espaço todo e qualquer ensaio nesta área. É um trabalho de sensibilidade e muita observação. Do anseio por beleza e funcionalidade surgem móveis que abrigam nossa vida, são a composição dos nossos cenários.

E no Brasil? Bom, em terras tupiniquins o design de mobiliário é algo bem antigo, porém pouco difundido e infelizmente pouco incentivado. Tivemos um grande mestre, infelizmente falecido, que é Sergio Rodrigues o qual deixou um legado fantástico e marcou seu tempo com criações famosas pelo mundo todo, como por exemplo a Poltrona Mole. A algum tempo os famosos Irmãos Campana com um design irreverente (e pouco usual para o meu gosto) galgaram seu lugar ao sol através de obras como a Poltrona Vermelha e a Poltrona Anemona, ambas da coleção Edra de 1998. Atualmente alguns nomes também estão em franca ascensão como o de Zanini de Zanine que faz uma leitura bem urbana de nossa “brasilidade” como na Poltrona Moeda Bergère ou em peças mais usuais e consumíveis como a Poltrona Tiss. De uma forma ou de outra, quem quiser percorrer este caminho deve lembrar que o caminho do design é antigo, partes em pedra outras em asfalto, mas o mais bacana é ir voando!

O que tinha de interessante na Revestir 2015 (SP)?

Numa visão geral, ampla e descomprometida posso afirmar que a Revestir 2015 #revestir, que aconteceu em São Paulo na primeira semana de março, trouxe muita inspiração! As empresas nacionais fabricantes de revestimentos, principalmente as grandes, conseguiram atingir um ponto muito importante para o mercado (leia-se profissionais e consumidores): agradam a “brasilidade”. Sim! Os produtos mais interessantes da feira eram os nacionais, mesmo que esta estivesse recheada de estandes dos gringos (italianos, espanhóis, etc). Alguns destes apresentavam produtos como “lançamento” mas que já existem no mercado nacional a mais de dois anos. Uma surpresa boa; nossos fabricantes, através de suas consultorias de consumo/comportamento e designers, já conseguem sair na frente das demais empresas e realmente nos brindar com o novo. E este é, sem dúvida, o grande interesse que arrasta multidões até a feira: ver as novidades!

Fui a SP a convite da Portobello #portobello (Portobello Shop Moinhos – Porto Alegre/RS), empresa que junto de mais algumas outras poucas está verdadeiramente comprometida a fazer algo diferente: apaixonar, emocionar, facilitar, humanizar. As novas coleções apresentadas não trazem muitas novidades em termos de produto mas aprimora as atuais linhas como ninguém! A linha de madeiras recebe a coleção Ecollection 2.0 toda renovada, tem também o novo revestimento “clapboard” que é um sonho de consumo, principalmente aos adeptos do conceito “wall dressing” (vestir paredes) e a linha Reserva inova com o produto Chevron (termo que vem da tipografia < >, um sinal de pontuação duplo usado na matemática, na informática, na moda e decoração… também representado pelo famoso zigue zague muito difundido pela Missoni #missoni). Para os mais urbanos/cosmopolitas a Portobello faz duas inserções muito inteligentes: o cimentício polido, trazendo uma nova textura aos produtos que já são um sucesso e o tijolinho da Brick Lane que é totalmente Londrino. Quem aparece com novidades também são as linhas dos marmorizados: Marmi Clássico e Marmi Unici que vão agradar aos mais conservadores. Para encerrar não posso deixar de falar da sensação (vide foto) que é a coleção de Cobogós em cerâmica natural (linha Studio Craft), um tiro certeiro no coração de quem já adorava o elemento que estava na feira, em diversos estandes, apresentado em vários tamanhos, cores, formatos e texturas. O uso do elemento é livre… mas deixo a dica: use ele com efeitos de luz!

Nasce mais um blogger

Mas por quê?

Faz tempo que tenho usado redes sociais como Facebook e Instagram para registrar minha atuação profissional (arquiteto com grande paixão por design, em especial design de mobiliário), mas os sites começaram a banalizar demais a informação. Dizem que o brasileiro é a “praga” das redes sociais, o povo que mais posta informação sem nenhum conteúdo. Eu mesmo me questiono a utilidade de muitas coisas que posto ou que já postei, mas como todo ser humano, também sou movido por impulso (no caso de me comunicar com o universo… hehehe). Deste impasse todo resolvi criar este blog para que possa dividir as informações com as pessoas que, por ventura ou infortúnio, tenham os mesmos interesses que eu, e que portanto queiram me acompanhar pelo mundo do design, arquitetura, decoração, moda, arte e tendências (comportamento, consumo, etc).

Por que combinate design?

Combinate é um “arranjo” de peças soltas… combinadas (tradução literal do italiano). Combinate para juntar, filtrar, valorizar elementos de design. Combinate é um sonho, ainda embrião!

Quem está por trás de combinate design?

Marcelo Minuscoli, 42 anos, arquiteto e urbanista, gremista, natural de Porto Alegre / RS. Curioso por natureza, além de ser apaixonado por arquitetura, design e decoração, adora escrever sobre as coisas da vida cotidiana, sobre comportamento e cultura geral. Desassossegado, crítico, sensível, justo e emotivo; alguém que acredita que a vida é para “bem ser” e para “bem estar”.